The Ale House: 600 rótulos de cerveja (muitas, muitas belgas)

Para iniciar os trabalhos, a quadrupel Urthel Samaranth

Em 2010 fui ao Great American Beer Festival – o maior festival de cerveja dos EUA, que acontece todos os anos em Denver, no Colorado- com o objetivo de voltar e escrever uma reportagem para a revista ALFA (se quiser, leia aqui). Meu guia na viagem, que também incluiu um tour pelas excelentes cervejarias da região, foi o belga Xavier Depuydt. Especialista em cerveja, radicado no Brasil desde 1998 (mora no Rio), proprietário da importadora Belgium Beer Paradise, Xavier é uma das pessoas com maior conhecimento e capacidade de ingestão de bebidas que já conheci. E meio louco. Um belga que fala alto, ri alto, respira alto, dá tapa nas costas, adora contar histórias. E beber. Muito.

Vlaams Stoofvlees: músculo cozido com a belga Maredsous Dubbel, acompanhado de fritas

Pois bem, Xavier acaba de abrir o The Ale House, um bar dedicado, obviamente, a cerveja. Mas desta vez escolheu São Paulo para a empreitada. The Ale House fica nos Jardins e, apesar disto, tem jeitão simples – o que importa ali não é decoração premiada, cadeiras de design, garçons lindos feito modelos da Armani. O que importa é a carta de 600 cervejas (tá, nem sempre vai ter TODAS, mas pelo que notei, a maioria), a possibilidade de comprá-las na loja no fundo do bar e levá-las pra casa ou de tomar, sossegado, numa das mesas do bar. O que importa, acima de tudo, é beber bem. Se tiver dúvidas, pergunte para as garçonetes que, pelo menos quando fui, conseguiram sanar minhas curiosidades sem maiores problemas. Se o Xavier estiver por lá, puxe papo e prepare-se para uma noite divertida.

Ambientes do The Ale House e a porção de fritas

A lista de rótulos, como você pode deduzir, é longa. Por conta da paixão de Xavier pelas cervejas de sua terra, a área dedicada as belgas é a mais extensa (Westmalle, Tripel Karmeliet, Rochefort ,Chimay, Leffe, Chouffe, Delirium Tremens, Carolus, St. Bernardus, Affligem, Kwak…).Comecei com a holandesa Urthel Samaranth (R$ 58, 650 ml), com 11% de graduação alcoólica, adocicada, caramelada, forte. Para acompanhar… Antes de dizer, um aviso: as comidinhas ainda são poucas e algumas delas- como as batatas fritas, que vem num cone e, com o passar dos minutos, as de baixo se tornam completamente moles por absorver toda a umidade-, precisam melhorar. Bem, para acompanhar, gostosos bolinhos de queijo com massa feita com adição da belga Maredsous 6 (R$ 14,90), o que confere um sabor mais potente, puxando para o doce. Gostei mesmo do Vlaams Stoofvlees, cozido de músculo com Maredsous 8, acompanhado de fritas (R$ 34,90): carne mega macia, suculenta, com molho perfeito para chuchar as fritas. Na linha “cozinhar com cerveja” também tem Voul au vent de frango com Leffe Blond e fritas (R$ 34,90).

Quer provar cervejas não convencionais? Indico essa americana, Rogue, com adição de chipotle (pimenta); bolinhos de queijo com massa preparada com Maredsous 6

A segunda cerveja do dia foi a americana Rogue Chipotle Ale (R$ 56, 650 ml). Se eu gosto de pimenta e cerveja, gostaria das duas coisas juntas? Até que sim, viu… Sutilmente defumadinha, picância só no fundo da garganta, certa acidez bem boa. Daria para passar a tarde toda ali, me divertindo com o menu. Esse é o perigo. E o grande prazer.

The Ale House: Rua Peixoto Gomide, 1730, Jardins, tel.: 2679-5011. Abre às 16hs de segunda a quinta e às 12hs de sexta a domingo. 

Fazer um comentário

Seja bem-vindo. Sua opinião é importante. Comentários ofensivos ou com identidades falsas serão reprovados.