Onde ir Bom para Beber e comer bem

Le Jazz: agora no Shopping Iguatemi

Torta de chocolate com macadâmia servida com sorvete de baunilha artesanal

O sucesso dos dois primeiros Le Jazz – a matriz, na Rua dos Pinheiros, e a filial da Melo Alves – chegou ao Shopping Iguatemi. O esquema é o mesmo: boa comida francesa de bistrô a preços excelentes (ainda mais para São Paulo), filas imensas (no almoço de sexta, esperei uma hora), água como cortesia… leia mais

Clos de Tapas: o excelente primeiro menu solo de Ligia Karasawa

Alfajor, doce de leite, creme de chocolate, sorvete de paçoca e bolinho de chuva: sobremesa reconfortante

Atualização 16/12/2013: a chef Ligia Karasawa não trabalha mais no Clos de Tapas Desde sua inauguração, em 2011, elogio o Clos de Tapas. O (ex) casal Ligia Karasawa e Raúl Giménez faziam uma cozinha moderna, autoral, com uso primoroso de técnicas moleculares. Muita gente torceu o nariz por conta do conceito até então inédito em… leia mais

Donostia: pintxos e tapas nada genéricos

Bom pacas: Foie Gras a la plancha (fígado de pato na chapa sobre torradinha, coberto por purê de maçã)

Tapas – ou pintxos, como são chamados no País Basco – foram tão erroneamente disseminados no Brasil (ou no eixo Rio-SP) que  tive o desprazer de encontrar um cardápio citando suas “tapas italianas” e, no outro, suas “tapas nordestinas”. Na real, essas duas denominações viraram  modismos gastronômicos: cidadão pode nem saber o que significa, nem… leia mais

Santovino: novo chef, novo menu. Agora, um ótimo italiano

Linguini com vôngoles salteados em vinho branco, alho, salsinha e pimenta calabresa seca finalizado com bottarga ralada do Santovino

ESTABELECIMENTO FECHADO Paulo Kotzent é um cozinheiro apaixonado por sua profissão. É um cara simpático, reservado, talentoso, que ama estar na cozinha – e cozinhar-, coisa cada vez mais rara nestes tempos de “celebrity chef”. Segundo ele mesmo, a função de seu trabalho é confortar – estômagos, ânimos. E, olha, consegue. Durante quatro anos, Paulo… leia mais

Brunch do Emiliano: para mim, o melhor de São Paulo

Para começar o dia bem, os impecáveis ovos beneditinos!

Atualização: o chef José Barattino deixou o Emiliano em Janeiro de 2013. Não é novidade para quem lê o Gastrolândia: amo café da manhã. Então, quando um mega café da manhã engata com um belo e longo almoço – ovos com nhoque, café com espumante, pão e manteiga com petit fours-, a alegria é quase… leia mais

Miya: menu criativo, variado e muito acertado

Excelente arroz de pato com edamame

Sou sincera em dizer que o chef Flávio Miyamura não me impressionou em sua passagem pelo Eñe, de 2007 a 2011: comi muito melhor lá no primeiro ano do restaurante, quando os irmãos Torres ficavam na cozinha. Minhas várias outras visitas foram ligeiramente decepcionantes. Por isso fiquei tão curiosa para conhecer seu recém-inaugurado Miya, cujo… leia mais

Osteria Ritto: sim, é possível comer bem sem declarar falência

Pappardelle com espinafre (feito na Ritto) com excelente ragu de javali

A Ritto Pizzaria, na Vila Leopoldina, pode não ser tão famosa quanto outras da cidade, mas a qualidade de suas pizzas é bem superior a de muitas, incluindo aí algumas das mais comentadas. Há um ano e meio, os proprietários reformaram o pequenino imóvel ao lado, trouxeram da Itália o consultor italiano Alessandro Bartolomei e abriram… leia mais

Coisa Boa: cervejas, schnapps e petiscos bem feitos

Sanduíche de paleta cordeiro com cebola roxa, limão siciliano e alecrim

Cervejas especiais estão ganhando mais casas dedicadas a elas. Empório Alto de Pinheiros, Sagarana, Ciao! Vino e Birra, por exemplo. Acaba de abrir, no Itaim, mais um, o Coisa Boa (eita, nominho bizarro!). Mas para se diferenciar nesse mercado tão inquieto de São Paulo, não basta ser especialista (ou dizer ser). É preciso vir com… leia mais

Brado: comida fresca e vibrante

Ovo com gema mole, lulas salteadas com pesto leve, creme de batata  e crocante de jamón

Parece que, finalmente, o conceito de comida boa e fresca, feita com ingredientes da estação, está chegando a São Paulo: depois do Chef Vivi, há duas semanas foi inaugurado o Brado, no pedaço da Rua Joaquim Antunes anterior a Av. Rebouças. Poucos pratos, menu sazonal, preços ótimos, apresentação impecável, serviço atencioso, ambiente clean e com… leia mais

Petiscos harmonizados com cervejas especiais na Mercearia do Conde

Beijú com carne seca e purê de abóbora com Bamberg Schwarzbier: casal 20

Finalmente cervejas especiais estão deixando de ser exclusividade de bares bacanudos, frequentados apenas pelos apaixonados e iniciados– 2011 foi a vez de restaurantes consolidados, tradicionais e “da moda” começarem a valorizar o produto que, sim, pode ser tão bom, complexo e fascinante quanto o vinho. Ainda estão engatinhando, apostando em rótulos menos desconhecidos, mas já… leia mais

The Queen’s Head: o Drake’s renascido (ou quase)

A australiana Coopers Sparkling (R$ 15) no pub declaradamente inglês: depois das 21hs, banda e muita gente

Eu adorava o Drake’s. Apesar de ser um pub, com toda a tradicional aura subterrânea e fechada, o que mais me atraia era a possibilidade de tomar cerveja boa naquele lindo pátio externo arborizado que, no verão, virava uma tremenda alegria. Um dia, a notícia: faliu. Já era. Pois agora, mais de um ano após… leia mais

Feijoada do Bar da Pompéia: afe…

Uma das minhas feijoadas preferidas: feijão preto lindamente temperado e encorpadaço, cheio de carnes macias

Acabei de voltar do Bar da Pompéia. Estou com uma preguiça mastodôntica porque faz cinco minutos que terminei de devorar um prataço de feijoada digno de um homem de dois metros e dez de altura —  adoro as carnes linda e longamente cozidas com o feijão preto perfeitamente temperado. E a bisteca. E o torresmo…. leia mais

Taberna 474: tasca moderninha

Excelente costela de boi assada, acompanhada por mandioca crocante e farofa com castanha

Proprietário da Adega Santiago e sócio do Bottega Bottagallo, Ipe Moraes abriu há poucos dias as portas de sua nova casa, a Taberna 474. Dizem que é bar, mas pra mim é restaurante: duvido que alguém vá lá só para beber uma cerveja e pedir uma porção de sardinhas portuguesas grelhadas (R$ 24)… De qualquer… leia mais

Tasca do Zé e da Maria: beleza de comida portuguesa!

Arroz de pato: a carne, cozida longamente no vinho tinto e temperos, é tão tenra e saborosa, tem um molho tão cheio de sabor, que dá vontade de mergulhar no prato

Os preços dos restaurantes portugueses em São Paulo torna-os quase “infrequentáveis”. No Bela Sintra ou no Antiquarius, por exemplo, para comer uma posta de bacalhau escoltada por algo como batatas ou brócolis, não se deixa menos de R$ 120 por pessoa. Se você quiser uma entrada, a conta do casal sobre para uns R$ 320–… leia mais