Onde ir Bom para Gastar pouco

Leggera: a melhor pizza de São Paulo? Para mim, sim.

Impecável, massa levíssima e crocante de fermentação natural. Margherita (molho de tomate, manjericão, mozzarella de búfala, parmesão e azeite, R$ 28)

Água, farinha italiana e fermento – no caso, fermento natural. Só. Vinte e quatro horas de fermentação. No preparo, a massa elástica e cheirosa, aberta com as mãos, leva apenas tomates San Marzano amassados, sem temperos, mozzarella de búfala recebida todos os dias, azeite e manjericão – essa, a clássica Margherita. Depois, um minuto e… leia mais

Barteco: comida boa a preços idem

Arroz de rabada com agrião: fixo no menu, sai R$ 29 no executivo, acompanhado de salada e couvert

ESTABELECIMENTO FECHADO Comer em bar deixou, há tempos, de ser sinônimo de ingerir frituras sem fim, engordurar a cara e a mão e acabar o dia entornando uma dose monumental de sal de frutas: o público hoje quer beber bem (e muito, às vezes) enquanto curte comida bem feita. E não há razão para não… leia mais

Jiquitaia: oásis numa terra de preços altos e comida medíocre

Delicioso arroz de suã do Jiquitaia

Fato: a inflação voltou. Notamos seu nada desejado retorno nas contas do supermercado, nos preços das roupas, nas visitas a restaurantes. Este último item, aliás, é o que mais tem alarmado os paulistanos: para a grande maioria, está ficando proibitivo sair para jantar mais do que uma ou duas vezes por semana. Por isso, mais… leia mais

Esquina Mocotó: Rodrigo Oliveira livre para criar

A Porcaria: dadinhos de tapioca com carne de porco; salames normal, picante e extra picante, fabricados em Catanduva; presunto Salamanca também de Catanduva; compota de cebola roxa; terrine de porco; rillete de Copa Lombo com manteiga de garrafa

“Meu plano de expansão é abrir um restaurante a cada 40 anos”, diz Rodrigo Oliveira, em tom irônico. A brincadeira revela o cansaço do chef que há meses se desdobra entre o tradicional Mocotó, palestras e eventos pelo Brasil, estudo de ingredientes e o comando da cozinha do seu filho mais novo, o Esquina Mocotó…. leia mais

Casa Santo Antônio: bons pratos italianos em endereço agradável

Nhoque de batata com carneiro em seu molho: somente aos domingos

Aproveitando o crescimento dos bairros paulistanos – fora do eixo Jardins-Itaim-Pinheiros -, diversos restaurantes abrem e, muitos, prosperam por conta do crescimento acelerado de público carente de opções perto de suas casas. Nessa linha, acaba de inaugurar a Casa Santo Antônio, na Granja Julieta. O projeto foi idealizado por três profissionais egressos do Grupo Fasano, o… leia mais

Ella.: italianinho de boníssimo custo-benefício

O carro-chefe da casa, o bigoli, vem acompanhado de ragu de galinha d'angola e cogumelos no menu executivo de R$ 30

Supresa: abre em São Paulo um restaurante que, pelo menos por enquanto, consegue reunir boa cozinha e preços mansos. O Ella., em Pinheiros, aposta na equação comida bem feita+pratos mais baratos que a média da cidade+salão cheio almoço e jantar = lucro e clientes felizes. Lugar para quem curte comer bem, passar momentos agradáveis e… leia mais

Sabores de Mi Tierra: arepas e patacones deliciosos

Patacón - disco de banana-da-terra crocante- com frango ao molho criollo

Finalmente São Paulo está ganhando mais endereços de comida latinoamericana. Gosto de ceviche, e tal, mas com a gastronomia tão rica do nosso continente, porque nos restringir tanto? Depois do La Sanguchería, em Perdizes, acaba de abrir o Sabores de Mi Tierra, em Pinheiros. Enquanto o primeiro traz comidas de rua mais focadas no Peru… leia mais

Peixaria Bar e Venda: comida e preços excelentes

Trio de excepcionais marinados: suculento polvo (ponto perfeito!), ceviche de robalo e camarões de frescor evidente

Atualizado em 25/08/2013: os preços do A Peixaria aumentaram. Mesmo com bom movimento, os proprietários acharam por bem elevar os valores. Junto a isso, infelizmente, a qualidade da comida caiu bastante. Ou seja: ignore todos os elogios abaixo… Tá complicado comer bem em São Paulo e não ir à falência. É só entrar em um… leia mais

Brera: só panini – e bem feitos

Panino de prosciutto curado 18 meses, rúcula, tomate, azeite trufado de Alba e brie: uma das 35 opções

Panino, assim como pizza, ganhou o mundo. O sanduíche, recheado virtualmente com qualquer coisa, é encontrado em vendedores ambulantes em Moscou, lanchonetes no Piqueri, cafés em Roma, barraquinhas em Nova York – a verdade é que qualquer biboca vende pão com sei-lá-o-que no meio. Mas, na real, panino (panini é o plural) pode ser delicioso… leia mais

Balila: libanês moderno e bem bom

Quibe michui de coalhada seca, acompanhado por batatas fritas e fatouche

Tem quibe, mas não só de carne. Tem esfiha, mas também muito mais que isso. O Balila me agradou tanto por sair da velha fórmula charuto-de-folha-de-uva-com-coalhada que vemos nos restaurantes árabes/libaneses de São Paulo. Ele oferece todos os itens tão amados pelos paulistanos mas seu menu possui faceta mais moderna – atendendo muito bem vegetarianos,… leia mais

Almodóvar: comida espanhola caseira e com bons preços

Chuleta de porco acompanhada de salteado de grão-de-bico, cebola e chorizo

A Rua dos Pinheiros se tornou, mesmo, um pólo gastronômico. O irmão mais velho da turma, o Le Jazz (se não incluirmos na lista a cantina Gigio, claro), agora tem a companhia do Beato, Meat Chopper, Meats, Goshala, Tasca do Zé e da Maria e Almodóvar. Aberto sem nenhum alarde no final de setembro de… leia mais

La Sanguchería: simples e bem feita comida peruana de rua

Tamalitos de la señora Vilma: milho andino e frango orgânico, coberto por vinagrete de cebola roxa. Receita da cozinheira peruana Dona Vilma

Completa desconhecida no Brasil até cinco, seis anos, a comida peruana tornou-se famosa em São Paulo em questão de meses através do boom do ceviche. De repente, tudo quanto é canto servia ceviche. E só ceviche… Mas assim como culinária japonesa não é apenas sushi, a peruana tem muito muito muito mais, especialmente pratos que não… leia mais

Restô 607: boa comida brasileira (e caipirinhas!) em ambiente agradável

Ótimas manjubinhas fritas acompanhadas de maionese artesanal de alho e molho de pimenta

Se tem algo de que sinto falta em São Paulo é de mais lugares acolhedores, não extorsivamente caros, com bons drinques e cozinha simples e competente. Lugares nos quais dá vontade de se esquecer. Lugares agradáveis, que provocam vontade de voltar. O novo Restô 607 é um deles. O Restô 607 fica dentro do gracioso… leia mais

Samosa & Company: comida indiana autêntica e muito bem feita

Samosas vegetarianas, com recheio de batata e curry, gordas e de fritura sequinha da Deepali

Já disse e repito: brasileiros, em geral, tem o preconceito “ai, é picante demais” perante um prato do Chicken Tikka. Acham, mesmo sem provar, que vão morrer engasgados por algum tipo de potência nuclear pimentística. Mentira. A comida indiana leva pimenta para incrementar o gosto — tipos diferentes em cada prato, com sabores diferentes — e… leia mais

Byblos: comida libanesa excepcional

Falafel perfeito. Apenas isso.

Conheci a chef Nohad El Kadre em 2010, assim que ela abriu o Chez Nohad, nos Jardins. Projeto ousado, tanto pelo tamanho e decoração imponentes quanto pela proposta de servir a real comida libanesa em um cardápio imenso, o Chez Nohad tornou-se um dos meus pontos preferidos em São Paulo. Como escrevi uma vez, ela… leia mais

Rinconcito peruano: baratíssimo, simples, autêntico e bem bom

Lomo a lo pobre:  coxão mole salteado na wok com cebola, tomate, batata frita e acompanhado de banana, ovo frito e arroz

Fica na área da antiga Cracolândia. Não tem placa na porta. Depois de subir uma escada estreita e mal pintada, chega-se a um salão inundado por música andina e clipes hipnotizantes rolando nas duas tvs. Ninguém fala português- o idioma oficial é o espalhol (ou portunhol, caso do cardápio). Para atender os clientes – moradores… leia mais