Banquete caseiro indiano: encomende o seu. É bom dum tanto…

Samosas Vegetarianas recheadas de batata, ervilha e uva passa (os pontinhos pretos são sementes de cebola, importadas da Índia)

A mistura de especiarias e temperos, a cor sedutora dos pratos, o aroma complexo e inebriante, os sabores intensos. Tudo na comida indiana me atrai, me agrada. Não seria exagero nenhum dizer que essa culinária, ao lado da tailandesa, é a minha predileta—nada nela é blasè, suavezinho, insosso. Nada passa despercebido. Nada é indiferente.

Chakali (snacks crocantes feitos de farinha de arroz e grão de bico), pastas de pimenta, de hortelã e de tamarindo e o delicioso Chicken Tikka (sobrecoxas assadas marinadas em coalhada e especiariais)

Brasileiros, em geral, tem o preconceito “ai, é picante demais” perante um prato do Chicken Tikka ou de uma samosa. Acham, mesmo sem provar, que vão morrer engasgados pela potência nuclear da picância. Mentira. A comida indiana leva pimenta para incrementar o gosto—tipos diferentes em cada prato, com sabores diferentes—e não para anestesiar as papilas gustativas. Quem já comeu um masala caseiro bem feito, belamente incorporado a tenros pedaços de cordeiro, por exemplo, sabe o que estou falando— essa mistura de temperos tão rica e pessoal (cada família tem a sua receita) é um segredo do cozinheiro, algo que dá a ele o poder de ter pratos únicos, não copiáveis.

Prawn Masala: camarões com curry de coco, amendoim e gergelim

Temos, em São Paulo e no Brasil, um número ínfimo de restaurantes indianos. Alguns, infelizmente, fecham depois de poucos anos por falta de clientes. Acabamos ficando preso a genéricos pasteurizados ou endereços com preços abusivos. Por isso, quando vi a notícia sobre a cozinheira Deepali Bavaskar no blog do meu amigo Marcelo Katsuki, fiquei tão animada: era minha oportunidade de provar a real comida caseira indiana, já que ainda não fui à Índia. Comida sem frescura ou conversa pra boi dormir, sem exageros. A comida real. Então lá fui eu ligar para Deepali, que mora no Brasil há 14 anos com seu marido, Veejay– um ex-executivo da indústria farmacêutica que já viveu na Rússia e na África do Sul– e que decidiu cozinhar para além de seus familiares.

Conserva de limão-- guardada por 4 anos!!!!-- acompanha de parathas com coentro

Deepali sempre cozinhou em casa, para o maridos e os dois filhos, mas começou a encarar isso como profissão quando Veejay sofreu um ataque cardíaco e foi demitido (tudo no intervalo de duas semanas). Para manter o orçamento da família em dia, decidiu fazer marmitex para a comunidade indiana e vender samosas em feiras promovidas para o Consulado. A fama foi se espalhando e ela quer, agora, montar uma cozinha industrial— ainda faz todos os pratos em seu apartamento—e abrir uma rotisserie indiana. Enquanto isso, Deepali e Veejay (o primeiro casal com casamento arranjado que conheci!) recebem encomendas para almoços e jantares e entregam tudo quente, cheiroso e incrivelmente bom.

Mutton Biryani: arroz basmati, carne de cabrito desfiada, castanha de caju, amêndoas, uvas passas e açafrão

Liguei em sua casa, disse ser jornalista e que estava morrendo enforcada pelas minhas próprias lombrigas de vontade de provar seus pratos. Ela topou fazer um jantar para mim e mais quatro amigos em sua casa. Olha, que noite!

Sentados no chão, morrendo de rir com as histórias de Veejay, a refeição começou com Chakali (R$ 40, o quilo), biscoitos mega crocantes feitos de massa de arroz e grão de bico. Depois, grandes e lindas samosas vegetarianas (R$ 2, a unidade), fritinhas na hora, recheadas de batata, ervilha e uva passa, acompanhadas por uma pasta de pimenta, outra de hortelã e de tamarindo. Na sequência, Chicken Tikka (R$ 50, o quilo)—pedaços suculentos de sobrecoxa de frango longamente marinados numa mistura de coalhada e especiarias e, então, assados.

Tandoori Chicken: sobrecoxas marinadas em temperos indianos, levemente picante

Enquanto Veejay enchia nossos copos de vinho branco geladinho, sentíamos os aromas que voavam da cozinha para a sala e salivamos feitos cachorros com fome, apesar de fome mesmo já não existir mais naquela altura. Resolvemos ir para a mesa quando Deepali começou a enchê-la de vasilhas repletas de…. pra mim, repletas de felicidade plena.

Roghan Ghost: carne de cabrito com curry de amêndoas e iogurte e parathas quentinho

Grandes e apimentadas na medidas, as sobrecoxas Tandoori Chicken (marinadas em especiarias, levam esse nome porque, usualmente, são assadas no forno de nome tandoor, R$ 5, a unidade) foram apenas o prelúdio para o adocicado, cremoso, intenso e sensacional Prawn Masala (camarões com curry de coco com amendoim e gergelim, R$ 100, o quilo), o prato predileto de três de nós. O outro prêmio de “caceta, que coisa boa!” foi para o Mutton Biryani (R$ 90, o quilo),  arroz basmati lentamente cozido por carne de cabrito desfiada, castanha de caju, amêndoas, uvas passas e açafrão. Então Veejay aparece segurando uma bandejinha lindamente arrumada com fatias triangulares de parathas (pão caseiro de farinha de trigo recheado com creme de batatas) com coentro e uma espécie de chutney num potinho no centro. “Vocês tem que experimentar isso. Ninguém faz essa receita no Brasil. É conserva de limão e açúcar”, disse.

Com base nestes ingredientes, pensei que fosse algo comum. Mas na hora em que a coloquei na boca, minha garganta, cérebro e cordas vocais se uniram no fundo do meu crânio—um sabor encorpado e altamente perfumado explodiu. “Ele está curtindo há 4 anos”, falou Deepali. Quatro anos que transformaram dois ingredientes triviais em uma iguaria exótica e delirante (R$ 15, 100 gramas).

Shrikhand: sobremesa divina e geladinha feita a base de iogurte, açúcar, cardamomo e pistache moído

Para amenizar o paladar, comi o caudaloso e espesso Rogan Josh (carne de cabrito com curry de amêndoas e iogurte, R$ 75, o quilo) e terminei quase matando a tigela toda de Shrikhand (R$ 60, o quilo), uma sobremesa divina e geladinha feita a base de iogurte, açúcar, cardamomo e pistache moído.

Depois dessa noite, tive uma certeza: posso morar na casa da Deepali. Ou, mais especificamente, em sua cozinha.

Para encomendar samosas, jantares, almoços ou piqueniques indianos:
Sabores da Índia: Tel.: (11) 3253-7671 / Cel.: (11) 8556-9779, 
deepali@saboresdaindia.com.br. Eles ainda não tem site, mas pode ligar que Veejay explica tudo direitinho e apresenta todos os pratos do menu– que, em breve, provarei todos.

Curta o Gastrolândia

Fazer um comentário

Seja bem-vindo. Sua opinião é importante. Comentários ofensivos ou com identidades falsas serão reprovados.