Chef Vivi: de Pequim para a Vila Madalena

Filé suíno grelhado ao molho de mirtilo e couscous com ervas

O salão é pequeno, iluminado por luz natural, com decoração clean e belas fotos da China nas paredes. Mesmo com o barulho das buzinas da Rua Girassol infernizando o cérebro, quando se entra no Chef Vivi parece que a calma se instala e tudo dá uma tranquilizada.

Tangerina marinada com azeite de capim santo e raspas de limão, folhas orgânicas com cebola roxa e cottage

Aberto há 3 semanas, o Chef Vivi, na Vila Madalena, é a primeira empreitada brasileira de Viviane Gonçalves, cozinheira de longa data que conquistou, por três anos consecutivos,  o prêmio de melhor restaurante. EM PEQUIM (2005, 2006 e 2007).

Couvert: pão caseiros como o naan e focaccia com cebola

Antes disso,  passou 6 anos na Inglaterra, entre Londres e Bristol e estudou “Catering & Hospitality” no City of Bristol College. Mudou-se para a China um pouco antes das Olímpiadas de 2004 e, junto com uma amiga, abriu o Alameda, de cozinha contemporânea. Fez sucesso. Muito. Mas com saudades de casa, voltou para o Brasil em 2010 e decidiu abrir um novo. Nasceu o Chef Vivi.

Papardelle caseiro com molho de tomate com manjericão, lascas de parmesão e brotos de beterraba

Lá não tem menu. Quer dizer, tem, mas muda todo dia. TODO DIA, mesmo. Você pode escolher entre as três entradas, os três principais e as duas sobremesas feitas somente com produtos da época, muitos vegetais lindos e orgânicos e as melhores entregas dos fornecedores. Tudo de um frescor que dá até alegria na alma. O menu de almoço (entrada, prato e sobremesa) sai R$ 39,50 mas também é póssível pedir pratos individualmente.

Couscous com cenoura, frutas secas e gengibre, berinjela defumada e tomatinhos assados

Fui dois dias seguidos. No primeiro, comecei pelo couvert composto por pães caseiros como o naan e focaccia com cebola, manteiga e azeite (R$ 8 por pessoa). Ok, mas nada demais. Mas depois… comi uma refrescante Tangerina marinada com azeite de capim santo e raspas de limão, folhas orgânicas com cebola roxa e cottage (R$ 18,50, se pedida sozinha) e um impecável Couscous com cenoura, frutas secas e gengibre, berinjela defumada e tomatinhos assados (R$ 28, se pedida sozinho). Para finalizar, a delicadamente doce Torta de maracujá com chocolate (R$ 17, se pedida sozinha).

Salão pequeno, com luz natural e decoração minimalista do Chef Vivi

Dia 2: que putsa coisa boa essa entrada! Fatias da picanha grelhadas, com interior vermelhinho e suculento, com folhas orgânicas, lascas de parmesão e molho de nozes (R$ 18,50, se pedida sozinha). Na sequência, um belíssimo papardelle caseiro - sério, de uma delicadeza e ponto de cozimento memoráveis - com molho de tomate com majericão, lascas de parmesão e brotos de beterraba (R$ 28, se pedido sozinho). Meu acompanhante foi de ótimo, ótimo Filé suíno grelhado ao molho de mirtilo e couscous com ervas (R$ 28, se pedido sozinho).

Fatias da picanha grelhadas com folhas orgânicas, lascas de parmesão e molho de nozes

Já disse e repito: adoro quando conheço um restaurante em que vejo e sinto a paixão do chef pelo que faz. E, mais do que isso, no qual a comida é tratada como  a verdadeira estrela- e sem estrelismo. Valorizar o ingrediente é cada vez o que mais me atrai em um cozinheiro- e Vivi, sem pretensão e com competência, faz isso muito bem.

Torta de maracujá com chocolate

Chef Vivi: Rua Girassol, 833, Vila Madalena, São Paulo, tel: (11) 3031-0079

Fazer um comentário

Seja bem-vindo. Sua opinião é importante. Comentários ofensivos ou com identidades falsas serão reprovados.