Chez MIS: badalação e boa comida no jardim do museu

O salão iluminado e de decoração moderna do Chez Mis; Bruschetta de mussarela, molho de tomate orgânico, azeitonas Kalamata e manjericão

Chez é um grupo franco-brasileiro baseado em São Paulo que atua na gastronomia e no entretenimento. Acreditamos no novo”. A primeira fase do site da empresa esclarece muito sobre suas casas: decoração moderna e cosmopolita; clientela majoritariamente composta por modelos, estilistas, fotógrafos e publicitários; garçons e garçonetes bonitos e ligeiramente blasés; comida simples, bem feita, com muitas opções orgânicas e assadas no forno a lenha. Nada de arroubos gastronômicos e um acerto gigante no clima e no ambiente. A fórmula deu certo: em fevereiro último, o Chez MIS veio somar-se ao Lorena 1989, ao Chez Burger, ao Bar Secreto e a loja Surface to Air.

Prato dia dia às sextas: dourada do mar empanada com farinha de madioca, arroz e salada de couve crua com tomates

Caçula do grupo, o  Chez MIS fica numa área até então meio esquecida nos fundos – ou no jardim- do Museu da Imagem e do Som, na Avenida Europa. O belo salão é invadido pela luz natural que entra através da alta parede de vidro (à noite, vira uma espécie de lounge-aquário-bar-badalado), tornando a experiência de almoçar por lá bem agradável. De brinde, ganha-se a vista para a lateral do Jardim das Esculturas do vizinho MUBE.

Belo milanesa de contra filé com mostarda Dijon e batatas doces assadas com alecrim

O menu seria uma réplica exata do menu do Lorena 1989 se não fosse um tiquinho mais enxuto. Mas estão lá o gostoso milanesa de contra-filé servido com mostarda Dijon e um acompanhamento (no meu caso, as ótimas batatas doces assadas do forno a lenha com flor de sal e alecrim; R$ 49), o famoso nhoque recheado de mussarela, creme de parmesão e farofa de pão (R$ 41), a bruschetta que adoro coberta por queijo de cabra, uva, pistache e mel (R$ 25, é montada sobre focaccia macia), o cheeseburger de bife ancho com  alface, tomate, cebola roxa, pepinos, batatas fritas e maionese (R$ 34) e as tão pedidas sangrias de vinho branco e tinto (R$ 77 a jarra grande). A diferença mais notória são as opções de lanche da tarde, visto que a casa abre as 12hs e fecha somente a 1h – tostex de abobrinha com queijo de cabra e de queijo Serra da Canastra com tomates saem por R$ 15 cada – e as boas sugestões de pratos do dia a preços camaradas.

Cheesecake com calda de frutas vermelhas: bom, mas caríssimo...

Às sextas, a pedida é dourada do mar empanada com farinha de mandioca, servida com arroz branco biodinâmico e salada de couve crua com tomate (R$ 25,90). O peixe, de carne branquíssima e macia, estava suculento e firme. Como adoro couve crua, não deixei um resquício, porém abandonei o arroz completamente sem sal. Às terças é a vez de picadinho com o ovo orgânico (R$ 21,90); quartas, risoto de vegetais com arroz cateto e castanha do Pará (R$ 22,90); quintas, bife de chorizo com mostarda e batatas francesas (R$ 25,90).

Mousse de chocolate com pedaços de chocolate

Almoço tranquilo e sem sobressaltos, mas duas coisas me incomodaram bastante: o serviço demoraaaaaaado (meu prato demorou quase 40 minutos pra ser servido) e o preço azedo feito o cão das bem feitas sobremesas: cheesecake com calda de frutas vermelhas, R$ 24 (quase o preço do prato do almoço!) e o cremosão mousse de chocolate, R$ 21… Nem que as framboesas tenham sido colhidas por monges dinamarqueses albinos descalços, proclamando versos em mandarim, e a massa tenha sido assada pela reencarnação da Julia Child, um pedaço de cheesecake poderia custar R$ 24. Mas custa. É a vida. É São Paulo.

Chez MIS: Avenida Europa, 158, Jardim Europa, São Paulo, tel.: (11) 3467.3411

As fotos deste post foram tiradas com uma Sony NEX-C3K 

Fazer um comentário

Seja bem-vindo. Sua opinião é importante. Comentários ofensivos ou com identidades falsas serão reprovados.