Festival da Costela do Contra Filé no Bassi: U-A-U

Marcos Bassi e seu atual orgulho: a costela do contra filé

“Eu não sirvo boi, sirvo carne. Por isso venho desenvolvendo, junto com os melhores criadores de Porto Feliz, no interior de São Paulo, cruzamentos de gado que produzam a melhor carne. Aperfeiçoamos através da mistura certa de raças até conseguimos atingir um produto final de qualidade excepcional. O Brasil tem a melhor genética de gado do mundo– só falta as pessoas aprenderem a tirar o melhor disso”, diz Marco Bassi, o maior especialista em carnes do país.

A belezinha da Costela do Contra Filé na churrasqueira

Há mais quatro décadas trabalhando com o produto, hoje Bassi vende o supra sumo, o top de linha da carne nacional em seu restaurante, oTemplo da Carne. Mesmo fora do circuito gastronômico manjado de São Paulo (Itaim-Vila Olímpia-Vila Madalena- Jardins), a casa lota todos os dias no almoço e nos jantares de quarta à domingo— e olha que o salão é grande!– e serve 100 bois inteiros por mês.

Salão grandão do Templo da Carne

A paixão de Bassi pelo que faz é deliciosa de se ouvir. Mais delicioso ainda é aprender com ele as possibilidades de mercado e de uso dessa matéria-prima tão amada mas tão sub utilizada pelos brasileiros: “Se todos os chefs parassem de servir escalopinho e começassem a fazer grandes assados e cozidos, descobririam que não existe carne de segunda– e daí os clientes também descobririam. O que existe é boi de primeira qualidade e boi de segunda qualidade. O consumidor só vai aprender a comer cortes além de picanha se os cozinheiros os conhecerem e souberem preparar”, fala Bassi. “E, além de tudo, os preços seriam mais baixos”.

Carnão!

Em busca dessa excelência total e da educação do mercado, Bassi acaba de lançar um festival que tive o prazer imensurável de provar até rolar: Festival da Costela do Contra-Filé. “O que quero é mostrar para o consumidor a variedade de cortes, texturas e sabores que existe no boi. Então resolvi servir esse corte (que engloba o asado de tira e quatro bistecas) que é economicamente  uma loucura, por que só existem duas peças por boi e eu estou vendendo há R$ 188 (serve, na boooooa, 4 pessoas com fome ou 5 pessoas com apetite normal), mas para o Templo da Carne não há coisa que agregue mais valor. Não se trata de dinheiro, mas sim de competência”, diz Bassi.

(as fotos não ficaram grande coisa porque o salão é meio escurinho…)

Meu prato: farofa deliciosa, palmito pupunha assado e fatias tenras e suculentas do contra filé

A peça gigantona vai inteira no espeto e, temperada apenas com sal grosso, fica 40 minutos na churrasqueira. Então o garçom a leva inteira, linda, até a mesa, tira deliciosas, suculentas, macias e cheirosas fatias, coloca-as sobre o seu prato e leva o resto da peça de volta pro calor. Então você corta– basta encostar a faca– e come uma das melhores carnes da sua vida, cujo sabor se esparrama pela boca e pelo cérebro. Acompanhei a lindona com palmito pupunha maciíssimo assado na churrasqueira (R$ 39,80, para duas pessoas), farofa de mandioca, linguiça e bacon (R$ 22, para duas pessoas) e crocantes batatas soufle (R$ 19,80, também para duas pessoas). Daí, quando estava quase para surtar de alegria, a carne volta. Mas, desta vez, em forma de perfeitas bistecas com exterior torradinho e interior ligeiramente vermelho e altamente suculento.

Abacaxi na brasa com canela e sorvete de creme: para finalizar a lambança

O que mais gosto no Templo da Carne não é só o cuidado e atenção que Bassi dedica ao produto;  nem aos acompanhamentos fartos e bem feitos; nem o couvert que, por sí só, é uma refeição; nem o fato dos vinhos serem vendidos a preço de importadora. O que mais gosto é que tudo isso vem atrelado a BOM PREÇO. Veja só: em cinco pessoas, neste festival, com todos os “adendos” que  citei, a refeição sai (já incluindo os 10%), R$ 59 por pessoa. Se você tiver a fome de um mamute e ainda encarar o couvert– pão italiano quentinho, manteiga, torradas, molho de cebola, palitos de cenoura, caponata, azeitonas, abobrinha com tomate seco, pimentão vermelho e abobrinha marinada em azeite– a conta fica em R$ 74. Outros exemplos dos valores de lá? A fraldinha para 4 pessoas fica em R$ 148 e a picanha para 3 pessoas, R$ 148.

Então, aproveite para se jogar no carnão– o Festival da Costela do Contra Filé começa hoje vai até o final de julho.

Templo da Carne de Marcos Bassi: Rua Treze de Maio, 668, Bela Vista, tel: 3288-7045

Curta o Gastrolândia

Fazer um comentário

Seja bem-vindo. Sua opinião é importante. Comentários ofensivos ou com identidades falsas serão reprovados.