Nama Baru: sudeste asiático (caprichado) na Pompéia

Salada crocante do buda: vegetais passados em molho de pimenta doce, folhas de hortelã e coentro, amendoim, lulas fritas e algas

O pequenino restaurante de cinco mesas, que abre somente para almoço, fica bem em frente ao Hospital São Camilo, na Av. Pompéia. O ponto, decerto, não é dos mais aconchegantes, mas apesar disso, o Namu Baru consegue ser– e, ainda, oferecer pratos caprichadíssimos do sudeste asiático (e olha que a cozinha é, sem brincadeira, do tamanho de um elevador de prédio residencial!).

Shu mai de porco: dim sum feito no vapor com carne de porco e cogumelos

O casal de proprietários— ela, Talita, fica no salão e ele, Ique, na cozinha– abriu o Nama Baru há dois anos. Depois de testar se sua comida fazia sucesso (fez) e conseguir clientela fiel, estão mudando-se em breve para um endereço maior, mais calmo e agradável na Rua Barão do Bananal, bem próximo ao bar Dita Cabrita.

Costelinha de porco ao molho de tamarindo, soba com gengibre e pepino agridoce: dos deuses

E essa clientela não se tornou fiel à toa: a comida é feita com evidente carinho e cuidado, desde a bela apresentação até o sabor, em geral, equilibrado e tendendo ao delicado.  Para entrada, a bem temperadíssima e fresca salada crocante do Buda (R$ 28), com palitinhos finos de cenoura, repolho roxo (entre outros) passados em molho de pimenta doce, com coentro e hortelã frescos, um toque de amendoim torrado, coco ralado e tenríssimas lulas fritas. Pedimos também shumai de porco (R$ 10), espécie de dim sum de carne porcina e cogumelos feito no vapor, de sabor bem…. bem sem graça, para ser sincera.

Pad Thai: clássico tailândes, é feito com talharim de arroz e molho de tamarindo

Então os pratos principais vieram e… que beleza! Meu lindo e generoso Pad Thai de camarão (R$ 38) estava bem gostoso, com crustáceo gordinho no ponto certo, fatias delicadíssimas de omelete e a agradável ausência de quilos de amendoim torrado que se colocam nos pad thais por aí– gostei bem da idéia da colherzinha de açúcar já pronta para espremer suco de limão e distribuir o saborzinho agridoce pelo talharim de arroz. Mas senti falta de um punch no sabor, confesso. Assim que pedi a ótima pimenta da casa, o problema foi resolvido.

Geng han lae: barriga e pernil suínos cozidos em molho de tamarindo e curry vermelho

Mas, olha, fiquei completamente babando foi pelo geng han lae (R$ 28,50), curry tailandês feito de barriga e lombo de porco maciíssimos, marinados em calda de tamarindo, servido gengibre fresco, cebolinhas cozidas arroz. Sabor complexo do curry com o toque ácido do tamarindo, perfeito para equilibrar a gordura da carne do porco. Estou para voltar e comer o outro curry, o verde, com frango, lichia, castanha d’água e água de coco (R$29).

"mousse" de lichia com calda de açafrão e menta (está muito mais para creme)

Para sobremesa, vá direto nos ótimos sorbets de fabricação caseira: tamarindo (o que pedi, porque estava num dia tamarinzento), chá verde com capim limão, morango com saquê e gianduia (R$ 8, a bola). Provei também o chamado mousse de lichia com calda de açafrão e menta, que se tratava de um creme (que poderia ter servido gelado– ficaria bem melhor do que em temperatura ambiente) de gosto apagadinho.

Sorbet caseiro de tamarindo

Nama Baru: Av. Pompéia, 1227, Pompéia, tel.: (11) 2548-7749 / 2548-9047

Fazer um comentário

Seja bem-vindo. Sua opinião é importante. Comentários ofensivos ou com identidades falsas serão reprovados.