Onde ir Tipos de cozinha Árabe

Balila: libanês moderno e bem bom

Quibe michui de coalhada seca, acompanhado por batatas fritas e fatouche

Tem quibe, mas não só de carne. Tem esfiha, mas também muito mais que isso. O Balila me agradou tanto por sair da velha fórmula charuto-de-folha-de-uva-com-coalhada que vemos nos restaurantes árabes/libaneses de São Paulo. Ele oferece todos os itens tão amados pelos paulistanos mas seu menu possui faceta mais moderna – atendendo muito bem vegetarianos,… leia mais

Al Baladi: receitas familiares, as estrelas de novo libanês

Quibe frito com snoubar (pinoli)

No endereço no qual funcionou brevemente o St. Honoré, no Itaim, instalou-se o Al Baladi. A grande atração da casa são os pratos tradicionais libaneses, a maioria proveniente de livros de receita das famílias dos sócios, todos da comunidade e sócios do Clube Monte Líbano: Renato Haddad, Leonardo Yunes, Bruno Laporta e Marcel Gholmieh. Restaurante de menu… leia mais

Byblos: comida libanesa excepcional

Falafel perfeito. Apenas isso.

Conheci a chef Nohad El Kadre em 2010, assim que ela abriu o Chez Nohad, nos Jardins. Projeto ousado, tanto pelo tamanho e decoração imponentes quanto pela proposta de servir a real comida libanesa em um cardápio imenso, o Chez Nohad tornou-se um dos meus pontos preferidos em São Paulo. Como escrevi uma vez, ela… leia mais

Saj: nova unidade de um dos meus árabes preferidos

Minha entrada predileta: trigo grosso, peito de frango desfiado e carne moída regado com coalhada fresca e hortelã

Gosto bastante do Saj, instalado desde 2008 na Vila Madalena. Gosto de suas esfihas feitas na hora, de massa macia e leve. Gosto do pão que leva o nome da casa, espécie de pão-folha feito assim que é pedido, regado azeite e zaatar. Gosto das pastas, principalmente a bem temperada mhammara (pimentões vermelhos, nozes e… leia mais

Tenda do Nilo: a tradição continua intacta

Mil e Uma Noites: bolo de semolina molhadinho com água de flor de laranjeira e coberto por creme de nata levíssimo, polvilhado com pistache moído

As irmãs Olinda e Xmune Isper já cansaram de ganhar prêmios: melhor esfiha, melhor falafel, melhor sobremesa… Isso poderia ter transformado o Tenda do Nilo em um lugar plastificado e/ou imenso e/ou com duzentas filiais. Mas, não: o restaurante continua com apenas 21 lugares distribuídos no minúsculo salão (com cara de bar) e na calçada de uma… leia mais

Manish: um árabe para chamar de meu

Quibes fritos pequenos e deliciosos, quarteto de pastas e a AMADA cesta de pães assados na hora

Pão folha assado na hora. Borda gordinha e macia que vai afinando, tornando-se crocante e repleta de bom azeite e muito zahtar. Então, você pega uma colherada generosa de mahamara– a deliciosa pasta de pimentão vermelho e nozes–, deposita sobre ele, faz uma trouxinha e… repete a sequência com coalhada, humus, babaganuche. Amo tanto isso… leia mais

Attallah: comida árabe mega caseira e as delicadas esfihas de onze pontas


Fornada de esfihas de carne recém-saídas do forno; quibe assado; menu executivo a R$ 18,90; esfihas de ricota e carne

Num sábado desses, meu sogro veio almoçar em casa. Apesar de adorar cozinhar, estava com uma preguiça-monstro e resolvi comprar algo gostoso mas que não me desse trabalho. Lembrei de um restaurante árabe minúsculo e mega simples, perto de casa– literalmente “uma portinha”–  e, curiosa que sou, resolvi provar. Se fosse ruim, coitado do sogro… “Ailin,… leia mais