Onde ir Tipos de cozinha Japonesa

Sanpo: não tem sushi, não tem combinado, não tem rodízio! E vale muito conhecer.

Yukhoe: adocicado e delicioso steak tartar coreano temperado com shoyu, alho, pera asitática e amêndoas

“Não tem sushi, não tem combinado, não tem rodízio!”. O alerta está ainda do lado de fora, afixado junto ao menu. Assim que se entra no pequeno salão, ele está lá novamente, desta vez na lousa que expõe o especial do dia. Nada mais prático, visto que essa é a resposta para a pergunta feita… leia mais

Momotaro: criatividade (sem surtos), qualidade e preços gentis

Tuna Tataki (Atum selado com molho ponzu, nabo com pimenta e cebolinha com gengibre, sobre lâmina de palmito pupunha)

Certamente você já comeu ou ouviu falar em sushi de atum com foie gras. Hoje se acha em tudo quanto é canto. Pois então, antes de se tornar algo comum, o primeiro a servir essa combinação no país – considerada exótica e até meio odiada pelos mais tradicionalistas – foi o chef Adriano Kanashiro. A… leia mais

Sakagura A1: comida japonesa para compartilhar (a preços razoáveis)

Croquetes de okara, resíduos da fabricação do leite de soja: crocantes e de sabor sutil

O Sakagura A1 mal abriu e já é um dos restaurantes japoneses mais comentados da cidade. Aliás, mesmo antes de abrir estava em todos os sites: o soft opening foi bem frequentado. O motivo de tanto fuzuê  é seu chef/proprietário, o respeitadíssimo sushiman Shin Koike, que ganhou prestígio ao comandar o minúsculo A1, que funcionava… leia mais

Ban: o japonês idolatrado pelos amantes de comida japonesa

As jóias da casa: sushis impecáveis, quase vivos de tão frescos, com ótimo arroz

Inaugurado em setembro de 2011, rapidamente o Ban se tornou o reduto dos amantes da tradicional gastronomia japonesa. Aquela de qualidade, não rodízios com hot-roll de goiabada e yakissoba com camarão congelado. A maioria dos meus amigos tarados por sushi (que rodam São Paulo atrás do mais incrível, leve, perfeito, lindo, saboroso), derretem-se de elogios… leia mais

Shinjuku: o endereço definitivo de Shundi Kobayashi

Belos sushis de atum, agulhão, salmão e pargo com hortelã

Conhecido como um dos maiores sushimen de São Paulo, o japonês Shundi Kobayashi, 61 anos, mudou de restaurante quatro vezes nos últimos oito anos, deixando um rastro de casas com seu nome:  Shundi & Tomodachi, Original Shundi  e Kobayashi. Mas desde abril deste assentou-se no Shinjuku, no Itaim, do qual  é sócio-proprietário em parceria com a… leia mais

Aya: delicadezas fresquíssimas

Sashimis de Buri e Hamachi

Depois de trabalhar onze anos com Jun Sakamoto, o sushiman Juraci Pereira finalmente abre seu restaurante, o Aya, em Pinheiros. No ambiente sério e clean, o chef prepara sushis e sashimis, geralmente perfeitos, para clientes ansiosos sentados ao balcão em frente a ele– há também mesas, mas a experiência não é tão bacana. Acompanhar o… leia mais

Aska: me dá lamen! E guioza também

Os melhores guiozas de São Paulo. Este é de carne e legumes

Onze e quarenta da manhã: achando que ia encontrar o Aska vazio– afinal, abre às 11hs e fecha às 14hs–, fui toda pimpona. Mas, óia! Já tinha fila de umas 20 pessoas, todas olhando ansiosas para a porta de correr, espiando a cozinha aberta da onde vinha o aroma tão rico de ensopado, carne, legumes,… leia mais

Shabu Shabu: não há frio que resista

O marmoreio sensacional da carne usada no shabu shabu do Rangetsu of Tokyo: Wagyu, conhecido também como Kobe beef

Separados, os ingredientes não impressionam muito: um pratão com verduras cruas (muuuuuita acelga), cebola, cogumelos, cebolinha,  tofu, udon. Daí chega o fogareiro com uma espécie de forma de bolo cheia de água com caldo de peixe. Colocam-se dois potinhos na frente de cada comensal– um com ponzu (molho à base de shoyu e frutas cítricas como… leia mais

Itigo Sake House: izakaya para iniciantes

Régua de degustação de saquês. Ao fundo Hitokuchi ceviche (peixe branco marinado em limão, cebola roxa, pimenta e ervas sobre batata doce caramelizada) e natsumaki

“Costumo brincar que o Itigo é a porta de entrada para os izakayas da Liberdade. A maioria dos nossos clientes não é acostumada a degustar saquê e nem a provar comida japonesa que saia do trio temaki-sushi-sashimi, por isso nosso menu não inclui itens tão tradicionais, difíceis para quem não está habituado, como ouriço e fígado com… leia mais

Mugui: lamen, soba e yakisoba gigantes, baratos e ótimos


Passeando pela Liberdade com a minha família, resolvi me aventurar no famoso prédio de restaurantes do bairro, o Food Center (R. da Glória, 111). Digo “aventurar” porque realmente não sou uma expert em Liberdade: ADORO o bairro, suas lojas entulhadas de cacarecos importados, mercados repletos de iguarias orientais, mas fico morrendo de inveja no meu… leia mais

Jam Jardins: moderninho com orgulho


Novo Jam Jardins: o lindo combinado para uma pessoa e a lula recheada com shimeji

 Os sócios do Jam Warehouse, no Itaim, inauguraram em dezembro uma nova casa, agora na área mais gastronômica de Bela Sintra. Seguindo o trinômio fundamental da matriz- comida, música e arte-, o novo Jam,  já bem badalado e lotado, tem amplo salão a meia luz (baixa demais pro meu gosto; é tão escuro que dá… leia mais